terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

As Academias Napolitanas - Equitação Barroca


Federico Grisone estudou atentamente os tratados de Xenophonte e abriu em 1532, em Nápoles, uma Escola onde ensinava aos filhos de aristocratas, as boas maneiras, a arte de montar a cavalo e do seu ensino . Esta sua academia teve muito êxito e a fina flor da aristocracia europeia, veio até ela para se formar . O corolário da sua carreira de êxito, foi a publicação de seu tratado “Ordini di calvacari”, acolhido com entusiasmo parcialmente imerecido, pois ele transcreve na integra o que tinha escrito Xenophon .
As alterações aos métodos de Xenofhonte, são ao nível das brutalidades que infligia aos seus cavalos, contrariando o grego seu inspirador . Mesmo assim, sua escola teve uma influencia decisiva na difusão da Arte Equestre, que tinha sido esquecida durante séculos .
César Fiashi ,o primeiro a colocar os cavalos em «ares de Escola» a quem se atribui a invenção da “Capriola e da Passage” e foi o Instrutor de Grisone, sendo portanto o primeiro Mestre da Escola Napolitana Renascentista e o verdadeiro iniciador da Equitação Barroca.
Pignatelli foi discípulo de Grisone, mas abriu posteriormente a sua própria Academia.
Ao invés de Grisone, Jean Baptista Pignatelli já assumia uma boa parte da nova mentalidade renascentista ou barroca, que procurava a expressão artística no domínio e no ensino do cavalo.
Com ele abandona-se uma boa parte da violência e brutalidade de Grisone e é com ele que as Academias Napolitanas atingem o verdadeiro prestigio e passam a ser frequentadas por todos os jovens fidalgos da Europa.
Estas Academias que privilegiavam a Equitação, passaram a ser verdadeiros Colégios onde os mais prestigiados fidalgos das Casas de toda a Europa passaram a ir fazer a sua formação. Eram estabelecimentos de ensino completo onde a disciplina da Equitação era a mais importante e preponderante.
Pignatelli na sua Academia foi instrutor de Antoine Pluvinel e de Salomon de la Broue , que foram os grandes divulgadores da Equitação Napolitana renascentista e os verdadeiros iniciadores da Equitação Clássica .
Salomon de la Broue, não deixou nenhum tratado de equitação, mas foi Chefe da Ecurie Royal de Henrique III de França e o proprio François de la Gueriniere atribui a ele a paternidade da Equitação Barroca e o principio da boa equitação « Mão doce, suave e firme »
Antoine de Pluvinel, que foi Instrutor do rei Louis XIII, é o fundador da primeira Academia Francesa em 1594, que foi o primeiro embrião da Academia de Versailles.
Pluvinel deixou um Tratado de Equitação que é dos mais importantes da Equitação Clássica “ L’Instrution du Roy en l’Exercice de Monter à Cheval “. Foi o primeiro grande Mestre a definir a «Impusão como base do ensino do cavalo».

Sem comentários: